quinta-feira, 31 de março de 2011

Pintura de Alberto Sughi


ALQUIMIA DA DOR

A poesia desprende-se do limbo
e a solidão, amiga das horas,
provoca inquietações em mim,
causa-me a expectativa do verso
em melancólicas palavras invernais.


Não traduzo a voz do meu coração,

pulsante de emoções que agora anseio...

Onde está o amor que ronda a porta?
Na dor escondida do olhar rasante?
Na face oculta do beijo errante?

Tenho, enfim, as mãos vazias
e os olhos em dilúvio...

A poesia unge meu corpo,

bálsamo que repara a chaga
elixir que salva a alma.


Genny Xavier


Pintura de Alberto Sughi

12 comentários:

Rita Santana disse...

A dor que deveras sente. A dor virando outra coisa na alma do poeta e aliviando a sensação, o pânico possível. A dança ilustra o sofrimento que vira arte. Um beijo, minha Poeta!

Lara Amaral disse...

Descreveste muito bem esse efeito que a poesia nos causa.

Beijo, Genny!

. intemporal . disse...

.

.

. respirar não só do vento . mas do tempo . que passo aqui .

.

. porque da palavra mátria a alma assume tal plenitude e oferece o beijo .

.

. esvoaçante .

.

. bel.íssimo .

.

. um bom fim.de.semana .

.

.

heretico disse...

Genny, minha querida

permito-me dizer que melhor que escrever poesia (belíssima no seu caso) será FAZÊ-LA!

enfim, "boutade" de poeta herético!

beijo

SAM disse...

Querida Amiga,

Ilustrações belíssimas para um poema de sentimentos profundos que vazam em versos sublimes.

Obrigada querida Genny! Beijos com carinho de sempre e um ótimo fim de semana.

Mar Arável disse...

Na verdade apoesia

anda por aí em todos nós

Alguns escrevem

Jorge Sader Filho disse...

E com esta Alquimia, Genny, você fica de posse da pedra mágica, que onde toca vira ouro! A pedra filosofal e o elixir da longa vida, tão buscados pelos nossos ancestrais.

Beijos,
Jorge

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Êta poesia tocante, cara amiga!
E as imagens são lindas.
Amo os seus versos.
Beijos

www.ofalcaomaltes.blogspot.com

Nilson Barcelli disse...

Quando a poesia é um bálsamo, ela nasce da alma, depurando-a.
Excelente poema, gostei imenso das tuas palavras.
Querida amiga Genny, tem um bom fim de smana.
Beijos.

Luiz Reginaldo Silva disse...

Olá linda!

Tua poesia reside dentro de nós...e mostra uma beleza imensa.

Boa semana para você e família.

Um beijo.

Moisés disse...

"a solidão, amiga das horas". Até lembrei do nosso grande poeta pernambucano: "prima-irmã do tempo, que faz nossos relógios caminharem lentos...". Abração, poeta.

Moisés disse...

Se não for pedir demais, (e a minha alma sulista se excita só de imaginar) um dia queria te ver cantar o amor na segunda pessoa do singular. Topa o desafio? Rss..