domingo, 20 de março de 2011


PERCEPÇÃO


Máxima

é a existência pulsando
nas veias abertas
deste febril instante
de coisas últimas,
aproveitadas...

Máximo
é o momento
o correr dos cavalos,
o orvalho,
o amor das abelhas,
a lógica infantil...

Máxima
é a vida que se aprende:
degustar a primeira fruta do Éden,
sorver o último gole da seiva,
dançar exaustivamente
e ter nas mãos a decisão de sorrir,
de chorar,
de cerrar os dentes, até...

Máximo
é o trovão,
a tempestade dentro da gente,
o tempo que não se esgota,
a respiração, o sopro,
a paixão insensata, também...

Máximo
é o mundo,
o globo azul ameaçado
à espera da plenitute, apesar de tudo...
Recomeço,
eterno reinício depois do caos...

Genny Xavier

16 comentários:

São disse...

Máximo foi o gosto que tive em ler esse seu belissimo poema.

Li e vi também os anteriores , que me agradaram.Especialmente o dedicado a sua mãe, a quem envio um abraço .

Bem haja!

Cristiana Fonseca disse...

sublime , meus parabéns.
Genny me desculpe o sumiço.
Beijos,
Cris

Mar Arável disse...

... entretanto...

o máximo está por descobrir e conquistar

Rita Santana disse...

É um poema de sentidos, sensações. Esse olhar refinado pra existência, a percepção para o perdido, o invisível. Coisa de olho verde de poeta!!!!!!!!! Belo poema, querida!Obrigada pela visita, pela generosidade do espaço no seu blog. Um beijo!

Desnuda disse...

Querida amiga,

Um belo poema, um forte apelo aos sentidos, a emoção e a razão.

PS*: Amiga, devido a beleza do seu poema e relevância do seu texto sobre liberdade e Angye Gaona, colocado como comentário, gostaria de deixá-lo na íntegra no post. Posso?

Agradeço imensamente o seu comentário, o texto e o poema que veio não só contribuir e reforçar, mas enriquecer sobremaneira a postagem.

Carinhoso beijo e excelente fim de semana.

Desnuda disse...

Querida amiga,

Agradeço muitíssimo a sua generosidade! Já enxertei na postagem.


Beijos, muitos!

Ana Martins disse...

Boa noite Genny,
cheguei aqui através do blog da sarita.
Li e reli o seu poema e adorei!

Beijinho e bom fim de semana,
Ana Martins

heretico disse...

um pouco mais de Além em todos os recomeços. e um pouco mais de azul. sempre...

belissimo, querida Amiga

beijos

Cris Corso disse...

ual... nossaaa.. totalmente sensação... totalmente perceptivo.. diria sinestesico... adorei.. como diria calainho (idolos) sexo total.... rs :$

mto bom...

Bjo

Cris

. intemporal . disse...

.

.

. máxima é a palavra que aqui é verbo . antes . agora . e de.pois .

.

. na exaltação dos sentidos .

.

. à flor da pele .

.

. ou à tona d´água .

.

. na analepse da esperança .

.

. um bom.domingo .

.

. um beijo meu .

.

.

Luiz Reginaldo Silva disse...

Belo poema, querida!
Obrigado como sempre pela visita, pela generosidade do espaço no seu blog.
Um cheiro com sabor de poesia em ti!!
L U I Z

Nilson Barcelli disse...

Máximo é viver...
Excelente poema.
Genny, parabéns pela criatividade e talento que a cada poema revelas.
Querida amiga, bom resto de Domingo e boa semana.
Beijos.

R@quel Rocha disse...

Que lindo!!!!

tossan® disse...

Olá Genny, qualquer situação pode ser a horinha mágica da renovação do ego e da rotina. Lindíssimo poema. Você é uma grande poetisa. Beijo

jorge mendes disse...

oi genny
valeu a visita lá nos dragões.
agora, entre a máxima e o máximo, eu fico massa.
bj

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Que belo poema. Cheio de energia. Gostei.
Grato pela nota, querida amiga. Você nem imagina como faz falta no meu cotidiano.
TE AMO

www.ofalcaomaltes.blogspot.com