quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Victoria Ruiz de Cortazar - El circo de la Luna

PALHAÇO

Se morre um palhaço,
nas águas do rio,
sua alma se banha…e purifica
para emergir no ar,
rumo a Grande Jornada…

Se morre um palhaço,
uma estrela nasce no céu
tendo ao fundo do seu brilho alegre
a lona espessa e profunda do universo…

…e, por lá fica,
no picadeiro galáctico
iluminando alegrias
aos circos do mundo...

Genny Xavier

_________________________________

***Poema em homenagem ao ator brasileiro Domingos Montagner, de formação teatral e circense, morto em 15 de setembro nas águas do rio São Francisco durante o período de filmagens em trabalho de teledramaturgia.

Domingos Montagner

sexta-feira, 22 de julho de 2016

by Lindy Longhurst

Era uma vez...

A lente dos olhos
espia as palavras encantadas
que formam novos mundos
e fazem seguir as fantásticas  viagens...

A caixa de som dos ouvidos
escuta as palavras mágicas
que ressoam como músicas
no coração da gente...

Roda a vida que se conta,
roda-ciranda que se brinca,
roda do tempo que traz de volta
os amigos de ontem e as crianças de hoje...


Genny Xavier


by Lindy Longhurst

sexta-feira, 25 de março de 2016

DE TODOS OS POEMAS O MAIS BELO...


Em 25 de março de 2009, quando minha filha amada completava 24 anos, escrevi um poema para traduzir este inexplicável amor materno. Uma homenagem que em mim refletia o meu mais profundo desejo de explicar meus sentimentos de mãe e minha alegria deste presente que a vida me ofertou.
Nestes novos tempos, em que ela já casada, já profissionalmente graduada, aos 31 anos de sua existência, eu retorno ao poema “Desejos para uma menina-estrela” e reafirmo meu amor e o meu eterno sentimento de vê-la sempre como a minha menina, embora na condição de uma mulher feita, linda e generosa. 
Na data especial desta sexta feira cristã, dia 25, comemoramos seu aniversário, e para ela eu reapresento estes versos paridos da minha alma. 


DESEJOS PARA UMA ESTRELA-MENINA
Para TAINÁ, minha filha

Desejo, neste tempo torto
e de caminhos íngremes,
te recriar todos os dias,
do feto à luz das minhas auroras...

Desejo, no espírito da Grande Mãe,
que sol e lua, vento, mar e tempestades
mesclem suas forças
para proteger seus dias.

Desejo, no caleidoscópio do céu noturno
que a estrela do teu nome
te seja guia e norte
luzidia sorte de brilho e cor.

Desejo, no confronto das diferenças
que a distância do meu mundo maduro
te ofereça lição de vida
para o exemplo das tuas febres juvenis.

Desejo, nesta convulsão materna
do parir a ti todos os dias,
embalar tuas horas quando tristes forem.
e ninar seguidamente teus sonhos

Desejo, nesta ânsia de desejar,
fluir teus risos, encantar teus verdes olhos,
festejar de canto tua voz musical
e tua solene elegância de garça.

Desejo, na curvatura do tempo,
bem antes que eu cruze outras fronteiras
soprar meu amor em tua alma
e imprimir meus passos no teu caminho

Genny Xavier

2009/ 24 anos

2016/ 31 anos

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Fonte: Google


LUZ ESTELAR


Ponto a ponto
as estrelas bordam
o tecido do cosmos
no espaço-tempo…
A grandeza mora nas estrelas
e o meu coração ínfimo
pulsa e pulsa
diante do brilho remoto
que delas emanam…
Quanta ancestralidade
reside em meu corpo
a matéria das estrelas?
Eu respiro
e sopro os grãos de luz
das longínquas nebulosas…
Herança das eras
dos incontáveis sóis
que nascem e morrem…


Genny Xavier



sábado, 13 de fevereiro de 2016

Fonte: Google

PALAVRAS


As palavras
vaporizam as enxurradas
que ameaçam encharcar
as ideias…

As palavras
salientam as texturas
que ora ásperas e ora suaves
ferem ou abrandam…

Elas
tão letais
e mortíferas…

Elas
tão mágicas…
e libertárias…

Fazem girar e girar
a história dos homens
no solo do mundo…

Genny Xavier

Fonte: Google

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Fonte: Google


TÁCITAS ELUCUBRAÇÕES


As urgências
nos roubam os planos…
Porém, semanticamente, convém esclarecer:
as urgências, não a pressa…

Pois o que urge num tempo
de necessárias atitudes,
retorce as rotas
dos dias passados para frente…

Então, tardiamente percebemos
que um ponto fora da trama
na urdidura do tecido da vida,
compromete seu resultado…

É como virar a cabeça
para o lado oposto da rua que atravessa.
Só isso pode mudar as coisas
nas consequências do porvir.


Genny Xavier 

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Magdalena Korzeniewska

SEMEADURA


Há hoje em mim todos os sentidos expostos:
uma frieza nos rios das veias
uma ardência na superfície da pele
um rasgo no nascedouro das ideias
um fundo mais que fundo no coração da alma…

Há fruição também,
que se sacia na semeadura da palavra
que germina o verso de luz
no solo da vida.
Lavra de sede e ânsia…

Genny Xavier

Catherine Alexandre

sábado, 26 de setembro de 2015

Fonte: Google


MEMÓRIAS DOS BALÕES


Remotamente,
a infância transgride
a curva do tempo
e salta no espaço
para encontrar
a memória vívida dos dias…
E traz, na superfície dos sentidos,
a magia acima da lógica,
as horas longas,
fora do relógio dos homens;
o riso solto,
além das lágrimas;
o coração aos saltos,
inflado da leveza dos balões…

Saudosamente,
a infância se dilui na aurora,
deixando seu frescor
para colorir a manhã azul…

Genny Xavier

Fonte: Google

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

NOITE ENLUARADA



Meu passo tonto
costura o vento
ao curvar a rua.

O gato preto
espreita meu olho
que vagueia a noite.

De longe, a coruja pia
testando meu medo
dos presságios da vida.

De perto, a sombra cresce
trazendo as memórias
dos pesadelos infantis…

Assim, desperto
e espio o silêncio
da lua tão grande,
tão cheia...





Genny Xavier