terça-feira, 8 de março de 2011

Montagem com detalhes das pinturas Lilith de John Collier
e Adão e Eva de Albrecht Dürer


FEMININA

Flores

púrpuras
e javanesas...
Cores e tons que traduzem cheiros
sinestésicas sensações.

Anas
Marias
e Marianas...
Fenininos matizes
em tons sobre tons.

Ofuscantes constelações.
Mulheres que traduzem cores
em tradução de espíritos
estados
e ambiguidades.

Ah! Etéreo em mim esse infinito de mulher!
Dissimulada precisão
de sutilmente dissimular.
Anjo e demônio...
As vezes: uma Eva.
Outras vezes: uma Lilith.
Então, corpóreo ser,
estás em todos os dons
todos os sons
todos os tons...

Genny Xavier

______________________________________

Para além da saudade...

Uma mulher nascida em 08 de março...Repleta de luz e generosidade



SONOLÊNCIA

Para Maria, minha mãe

Hoje
a nostalgia
brinca de infância
comigo...

nós duas juntas
de mãos dadas
pelo tempo...
Canta, mãe
a tua canção de ninar!

Genny Xavier

11 comentários:

Rita Santana disse...

Tanto Lilith quanto Eva foram rebeldes e livres. A Lua Negra nos deu o abandono, a maldição e a transgressão da partida, da ruptura. Além dos seus primordiais desejos por igualdade na relação amorosa e sexual. A outra nos legou o Conhecimento. Sem ela, não seria podssível conhecer, viveríamos na sombra, na escuridão. Serpentes e mulheres têm afinidades indeléveis: eis o pacto da sabedoria.

Mar Arável disse...

As mulheres são marés vivas

no ciclo das nossas vidas

Desnuda disse...

Querida amiga,

Já escrevo emocionada...Bastante... Comecei a ler o belo poema e admirando a belíssima tela que define a dualidade da mulher, como todo o ser...E me deparei com o retrato belo e que me passou exatamente a sua definição: generosidade ( demorei alguns minutos neste encantamento). Cada traço da bela mulher revela e transmite exatamente a virtude da generosidade e outras virtudes percebidas por minha sensibilidade . Uma emoção passou mais profundamente para o meu coração e não pude reter as boas lágrimas das boas emoções. Sou emotiva sim, mas às vezes me acontece ( como agora) sentir algo mais forte...

PS: Genny, meu carnaval foi atrás do trem mineiro....Um carn’água !rsrs Mas com a alegria e a energia do carnaval baiano rsrs. Depois que esfria o corpo, a idade pesa e fico no bloco dos “ais” kkkkkkkkkk


Beijos com carinho.

Luiz Reginaldo Silva disse...

Querida amiga.

Seu poema como sempre belissimo e sua relação com a sua mamãe não tem como descrever onde assim mesmo faltaria palavras. Não tem como não haver uma sensibilização de sentimentos gerados dentro de nossos corações.

Um abração bem forte e igual ao seu tamanho e uma boa semana pela frente.

L U I Z

heretico disse...

"uma Eva.
Outras vezes: uma Lilith".


sempre Mulher, tecendo os delicados fios da Poesia.

belissimo poema
beijo

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Bela homenagem a Tia Maria, Genny. Um poema singelo, cintilante de emoção... Tenho pensado muito em você.
Saudades

www.ofalcaomaltes.blogspot.com

Iana Carolina disse...

Lindo!!!

Claudinha ੴ disse...

Linda homenagem à mãe Maria. Lindo poema mulher que reflete o lado as duas faces de Eva! Um beijo Genny!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Genny,o FALCÃO está comemorando cinco meses de vida. Apareça por lá! Será um prazer!
Abraço bom,

www.ofalcaomaltes.blogspot.com

Solineide Maria disse...

encantada. Um baú de emoção só pra gente...

Simples de coração disse...

É tudo muito lindo por aqui... :D