terça-feira, 20 de abril de 2010


MEMÓRIA REVISITADA


Os pés percorrem os caminhos dos pedregulhos de outrora

e estão expostos aos incertos suspiros da memória.

Os olhos revisitam as casas de tantas histórias guardadas

e pousam sobre novas feições desconhecidas.

Há lembranças perfumadas,

canções de roda da meninice,

janelas por onde se espiava os acontecimentos de ontem

na vazão dos suspiros velados dos dias jovens.

Ah, os dias! Retalhos do tempo,

recortes do passado na moldura dos fatos.

Ah!...esse correr da vida na fresta das horas,

somadas e somadas ao rigor do que guardamos em nós.


É necessário cuidar da travessia dos passos

na odisséia da existência,

revisitar os caminhos que nos levam aos mesmos lugares.

É necessário ousar espreitar o arquivo do tempo,

na cronologia de cada suspiro vivido...


Genny Xavier

17 comentários:

SAM disse...

Querida Genny,

é tudo tão perfeito na linguagem, na imagem e significação deste belo poema...Uma dimensão que revisitamos percorrendo verso a verso.


Obrigada. Carinhoso beijo, Genny!

Mai disse...

Gavetas abertas na espiral da memória. Lembranças perfumadas e as canções. Revisitarmos os lugares da infância e as marcas deixadas. Um outro olhar espreita os caminhos.
Muito bonito, este texto-convite, Genny.

Oliver Pickwick disse...

Espreitar e perscrutar, cuidadosa e minusciosamente. Melhor que transmutação de metais inferiores em ouro; melhor que o Elixir da Vida; melhor que a Pedra Filosofal. O essencial é simples e cartesiano. Sempre. O combustível da via contrária é o Valium.
Keep the beat!

Lara Amaral disse...

Poema que viaja por entre gavetas, armários e caixas empoeiradas.

Lindo, moça!

Beijo.

heretico disse...

tecedeira do tempo. tão bem cerzido em seus dedos, que dizer, no fio de suas letras.

belíssimo poema.

"É necessário cuidar da travessia dos passos...". tão belo. e tanta sabedoria que encerra!...

beijos

Rafael disse...

"É necessário ousar espreitar o arquivo do tempo"

na cronologia de cada suspiro vivido"

Genny ler você é se encantar com a vida criada e enfeitada com suas palavras.

Um abraço afetuoso. \o/

A.S. disse...

Genny,

Belissimo poema!
Vibra de emoção...

Beijos
AL

Nilson Barcelli disse...

Escreves tão bem que fico alguns minutos a ler e a reler o poema antes de comentar. E, depois disso, nem sei mais o que dizer, já que será sempre curto o que te possa referir em relação à qualidade e à beleza que este poema (e os outros) apresentam.
Parabéns, querida amiga, ler-te é um bálsamo constante nas minhas visitas.
Um beijo.

. intemporal . disse...

.

. da analepse que assim se estende .

. entre.meios do tempo .

.

. um beijo meu .

.

. paulo .

.

tossan disse...

Segues a poesia com retalhos do tempo. Lindíssima! Beijo

Dalinha Catunda disse...

Olá Genny,
Preciso voltar mais vezes aqui para saborear a beleza de seus escritos. Realmente é um presente essa sua revisita ao passado.
Bjs
Dalinha

Dalinha Catunda disse...

Olá Genny,
Preciso voltar mais vezes aqui para saborear a beleza de seus escritos. Realmente é um presente essa sua revisita ao passado.
Bjs
Dalinha

São disse...

Minha linda, de facto,a memória é incerta...mas tão essencial que sem ela não existe futuro.

Um bom final de semana.

Luiz Reginaldo Silva disse...

Simplesmente belissimo e emocionante a memoria em cada um de nós.

Um abraço efetuoso!!!

Luiz.

Nayara .NY disse...

Sinto que não sei se devo lembrar ou esquecer, mas adorei passar por aqui!

Bjoss
Já te sigo!

Cristiana Fonseca disse...

Olá Genny,
Bravíssimo.
Belo poema.
Beijos,
Cris

Jorge Sader Filho disse...

Memória. Recordações, sentimentos. pensamentos, Vida! Gostei, Genny.
Conduz o blog com segursnçs.
Parabéns.

Abraço forte
Jorge