terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Fonte: Google


TÁCITAS ELUCUBRAÇÕES


As urgências
nos roubam os planos…
Porém, semanticamente, convém esclarecer:
as urgências, não a pressa…

Pois o que urge num tempo
de necessárias atitudes,
retorce as rotas
dos dias passados para frente…

Então, tardiamente percebemos
que um ponto fora da trama
na urdidura do tecido da vida,
compromete seu resultado…

É como virar a cabeça
para o lado oposto da rua que atravessa.
Só isso pode mudar as coisas
nas consequências do porvir.


Genny Xavier 

5 comentários:

heretico disse...

"pára, escuta e olha". as "urgências" passam velozes...
são (não) viagem sem regresso.

sábio e belo poema.

(uma grata presença a tua. lá no herético.)

beijo

Jaime Portela disse...

As urgências podem levar ao improviso...
Magnífico poema, gostei imenso querida amiga.
Genny, bom fim de semana.
Beijo.

Mar Arável disse...

O amor acontece devagar

Bj

Jaime Portela disse...

Gostei de reler o seu excelente poema.
Genny, continuação de boa semana.
Beijo.

São disse...

Pois é , por vezes um pequeno passo em falso compromete tudo.

bons sonhos :)