quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

A Árvore da Vida - pintura de Gustav Klimt


O VICEJAR DO TEMPO



"Vi as águas da noite galopando entre as vinhas
e buscando meus sonhos. (...)
Vi sombras, elfos e ciladas.
Laços de pedra e palha entre as alfombras.
E, vasto, um poço engolindo meu nome e meu retrato (...)."

Hilda Hilst - Da Noite (fragmento)



Qual porta esqueci de abrir

ao merecimento dos pequenos detalhes da alegria?
O tempo drena as reminiscências dos dias
e a segurança das coisas e das pessoas
se esvai ao sabor de tudo que é inevitavelmente mutável...
Vão-se as ocorrências das fantasias oníricas
e as sensações vulcânicas do tecido da pele...
Vão-se o pestanejar das retinas atentas aos festejos da infância
e a respiração presa no esgueirar das noites
de beijos roubados da adolescência...

É certo que há agora esta beleza do amadurecimento da fruta do tempo,
mas é uma doçura que já não se pode perder num só instante
ao frescor do néctar da existência...
É preciso sorver a seiva no tronco fértil da árvore da vida
e cobrir-se dos seus caules que apuram o verdejar das folhas,
o perfume das flores e o sabor dos frutos
na permanência da fecundidade do tempo.

Genny Xavier

O Cajuario (pintura naif) - Zezé Aum

16 comentários:

Desnuda disse...

Querida amiga Genny,

Um belo poema, uma introspecção colocada em versos e que dizem muito aos sentimentos e às reflexões , nas questões e divagações sobre a vida e seus estágios. Talento e sensibilidade em cada verso e muito a meditar nesta leitura. Obrigada Genny!

Agradeço, de coração, o seu carinho e gentileza em colocar na lateral do seu blog tão rico em sentimento e belezas poéticas, um texto que escrevi num momento de lembranças e muita saudade de dois irmãos, já falecidos.

Que Deus a abençoe e toda família. Beijos com carinho e abraço amigo de gratidão.

São disse...

Minha querida, valeu a pena ter esperado tanto tempo por um novo texto seu e pelo bom gosto das ilustrações.

Mas, por favor, não faça intervalos assim tão longos!

Um abraço muito amigo.

Mar Arável disse...

Na verdade

o futuro é o instante

que segue

Bjs

CrisTina disse...

Gostei!

Hei-de voltar.

CrisTina

heretico disse...

"doçura que já não se pode perder num só instante
ao frescor do néctar da existência..."

belíssimo.

carpe diem!

beijo

Nilson Barcelli disse...

Temos que aprender constantemente a ser felizes...
Excelente, querida amiga. Adorei.
Beijo.

. intemporal . disse...

.

.

. sempre voláteis . na volatilidade de um só tempo . dis.perso .

.

. ainda assim . renovo.me . na composição . poética . que encontro aqui .

.

. um beijo . seja bem regressada .

.

.

Lídia Borges disse...

A renovação assoma nos momentos certos da maturação dos olhos sobre as coisas.

Um beijo

Mariazita disse...

Boa tarde, Genny
Venho do blog da Sarinha, DESNUDA, onde vi o link deste seu blog.
Tive curiosidade, já que a Sarinha é para mim uma amiga muito querida, e resolvi vir conhecer seu espaço.
Gostei! É um lugar aconchegante, onde a gente se sente bem.
Vi alguns posts publicados, e agradaram-me bastante.
Voltarei sempre que possível. De momento não posso fazer-me sua seguidora porque o blogger não mo permite. Mas tão logo seja resolvido o problema, segui-la-ei.

Deixo beijinhos

Nilson Barcelli disse...

Voltei e reli o teu magnífico poema.
Há coisas que vão com a idade, mas há outras que vêm...
Beijo, querida amiga.

Solineide Maria disse...

Não sei comentar seu poema, mas digo-lhe que abriu em mim uma janela que já não frequento faz tempo. Pus-me então a olhar novamente por ela. Vi e ouvi detalhes que já não me importavam mais.. Andava esparsa. Esgarçadas, minhas esperanças pareciam farrapos desumanos...
Tanta coisa que queria foi embora sem nem mesmo ter chegado. Tantos projetos rasgados, mal amados e mal lidos... Tanto barulho por nada minha querida Professora de Poesia! Um belo abraço saudoso. Parabéns pela poesia!!!

Antonio Pereira (Apon) disse...

Olá Genny!

Alquímica e mágica composição, que transcendendo às palavras, faz-se reflexão em poesia.

Um grande abraço.

LUZ disse...

Olá Genny,

Vi seu blog de alto a baixo, e tudo nele é vida, esperança e incitação.
Li alguns de seus escritos e a sua essência está lá.
Este poema, nos fala da vida, dessa pequena obra prima, que fazemos e temos todos os dias em nossas mãos.
A agarremos a a vivamos, porque amanhã pode ser tarde.
Escelente semana para você, querida.

Beijos do Breno e da Luz.

singularidadesdahistoria.blogspot.com

LUZ disse...

Olá Genny,

Passando para ver se havia novos escritos e lhe desejar um resto de semana muito feliz.

Aguardamos com ansiedade e gratidão, sua visita e comentário no blog de História.
Estamos viajando.
Quer fazer parte do grupo?

Abraços de luz.

Mariazita disse...

Olá, Genny
Como não há post novo... deixo um abraço com desejos de bom fim de semana.
Beijinhos

LUZ disse...

Olá Genny,

Passndo para lhe desejar um bom fim de semana e a convidar para visitar meu blog.

Beijos de luz.