domingo, 6 de dezembro de 2009


A PALAVRA NÁUFRAGA


Há uma solidão perpétua
instalada no pensamento
que ressoa no prumo de cada dia...
E, no intervalo em que a respiração se molda,
moldam-se as palavras que dançam por dentro
nos entremeios de veias, sangue e suores...
E, trazem à tona, a exaustão da alma
num deserto pleno
de beleza crua e explícita
em que elas - as palavras - estão isoladas
num campo inóspito de silêncio e dor...

E, enfim, da voz latente,
náufraga na encéfala ilha,
as palavras se enjaulam
distantes, sonâmbulas e saudosas
da substância-seiva
que nutre a terra fértil
do coração pulsante...


Genny Xavier

17 comentários:

Mai disse...

Prisão que exaure, palavra que liberta o que - ao poeta - exaspera.
Um poema em tom grave, denso mais belo, belíssimo.

Abraços.

SAM disse...

Genny,

quando leio um belo poema como este com palavras de profunda emoção que faz pulsar meu coração, agarro-me a elas e penso ser a salvação da minha sensibilidade, porque vou descobrindo outras vozes dentro de mim. Obrigada.


Carinhoso beijo.

O Sibarita disse...

Ô fia! kkkk Pois é! As palavras são instrumentos, dádivas de quem as sabe manejar com maestria colorindo-as das cores que batem no nosso pensamente e coração.

Assim, a dona moça mostra nos versos as vertentes do passado, presente e futuro!

bjs
O Sibarita

Cristiana Fonseca disse...

Olá Genny,
encontrei teu blog por indicação do Oliver, estou encantada.
Amei os teus poemas, o blog é lindo a escrita também.
Gente que familia talentosa de escritores Genny e Oliver.
Adorei vir aqui e voltarei.
Beijos,
Cris

Sr do Vale disse...

Solidão perpétua
pensamento ressoando a prumo
respiração
palavras
veias
exaustão

d e s e r t o

Cruas palavras de inóspito silêncio e dor

(Genny, você escreveu isso, mudei pois as palavras que escolhes, já tem sentido profundo, e quando captados pela poetisa, tornam-se poesia.)

"E, enfim, da voz latente,
náufraga na encéfala ilha,
as palavras se enjaulam
distantes, sonâmbulas e saudosas
da substância-seiva
que nutre a terra fértil
do coração pulsante..."

Gostou da somatória de palavras que parecem desconexas, mas quando unidas poéticamente, dão um sentido maior a poesia, como se não houvesse outra que pudesse substituir, como por exemplo: voz latente, encéfala ilha, palavras sonâmbulas.
Uma surrealidade palpavel, pelo sentido aglutinado.

(pena que não terei tempo para vir sempre)

abraços.

Sr do Vale disse...

Errata: Gosto e não Gostou.

São disse...

Um belo texto, com fotos a condizer!

Boa semana, caríssima.

Olhos de mel disse...

Genny; cheguei aqui através do blog de seu irmão e adorei! A solidão é o desérto da alma, que traz a tona reflexões, que o dia a dia não nos deixa oportunidade de pensar. Acho que em alguns momentos, somos náufragos, em nossos sentimentos e emoções.
Beijos

Reflexo d Alma disse...

Gostei tanto desses versos...
"Há uma solidão perpétua
instalada no pensamento
que ressoa no prumo de cada dia..."

Vou passear mais nesse universo de encantamentos e volto depois pra comentar.
Vou amar que passe no meu blog pra conhecer.
Bjins entre sonhos e delírios

tossan® disse...

Solidão machuca! Gosto da tua poesia ela é quase real! O teu comentário lá no klic me emocionou, mas a poetisa é você eu só fotografo e finjo que escrevo algo só para ilustrar as fotos. Beijo

Luiz Reginaldo Silva disse...

É impossivel não passar por aqui! Poesias vindas de voce engrandece qualquer um mortal. Continue nessa mesma linha que nós só temos a te agradecer .De coração.
Abraços.

Nilson Barcelli disse...

Com a Genny as palavras não são náufragas...
Este poema é excelente, querida amiga.
Gosto do seu registo que, notei agora, é parecido com a maioria dos poemas que tenho feito (frases longas, pontuadas).
Beijos.

Reflexo d Alma disse...

Alias..
que lindo Bau...
Bjins

Manuela disse...

Líndissimo, deu vontade de levar.
Gosto de poemas nostálgicos.

Desejo um bom fim de semana.

Manuela

Noslen ed azuos disse...

Muito inspiradora a passagem das palavras nas entranhas e estranhas partes do ser poeta... nem me apresentei...muito prazer, sou amigo ‘virtual’ de seu irmão, bjs

ns

heretico disse...

um poema desencantado. como os dias de hoje.

mas as palavras (as suas) não desistem na busca da "substância-seiva" de que se nutrem...

excelente a sua qualidade poética.

bem haja!

beijo

Anônimo disse...

parabens pelo blog...
Na musica country VIRGINIA DE MAURO a LULLY de BETO CARRERO vem fazendo o maior sucesso com seu CD MUNDO ENCANTADO em homenagem ao Parque Temático em PENHA/SC. Asssistam no YOUTUBE sessão TRAPINHASTUBE, musicas como: CAVALEIRO DA VITÓRIA, MEU PADRINHO BETO CARRERO, ENTRE OUTRAS...
é o sonho eterno de BETO CARRERO e a mão de DEUS